Como seria…

tarja-exploracao-espacial

Nova York se ela ficasse em outro planeta?

Ilustrador mostra, de maneira cientificamente correta, como seria a paisagem da cidade em diversos pontos do Sistema Solar. Em alguns lugares, a poeira e o pó obscurecem o horizonte; em outros, a Estátua da Liberdade seria destruída por poderosos ventos. Em todos, a vida seria impossível.

A Terra é um ambiente único no Sistema Solar. Vários fatores, como a distância em relação ao Sol, a atmosfera e o clima relativamente ameno, forneceram ao planeta condições singulares para o desenvolvimento da vida. O homem, e toda a civilização decorrente de sua evolução, não poderiam surgir em nenhum outro local. Para deixar isso claro, o ilustrador americano Nickolay Lamm mostrou o que aconteceria com uma região urbana se ela fosse transportada para outros planetas do Sistema Solar.

O ponto escolhido foi a cidade de Nova York — uma das paisagens mais conhecidas do planeta —, com a Estátua da Liberdade à frente.

Nickolay Lamm criou assim uma série de paisagens exóticas. Algumas cobertas de pó e nuvens de gás, outras assoladas por terríveis vendavais e tempestades, todas completamente inóspitas — sem condições de suportar a vida. “Essas imagens da cidade de Nova York em diferentes planetas mostram como nosso próprio planeta é especial. Ao fazer essas ilustrações, eu espero encorajar as pessoas a tomar mais cuidado com a Terra”, disse o ilustrador em entrevista ao site de VEJA.

Em abril, o artista havia feito outro trabalho com intenções semelhantes. Ao mostrar cidades americanas inundadas, ele quis chamar atenção para o tema das mudanças climáticas. Para fazer os mapas das regiões alagadas, usou dados da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos.

Dessa vez, Nickolay Lamm contou com a ajuda da astrobióloga Marilyn Vogel, que trabalhou durante cinco anos na Nasa. Ela explicou ao ilustrador qual era a composição química da atmosfera de cada um dos planetas, e qual seria o efeito que ela teria sobre a cidade de Nova York. Desse modo, ele foi capaz de mostrar de maneira cientificamente precisa como a cidade se pareceria em cada um dos oito planetas.

“É importante destacar que, para os planetas gasosos, nós assumimos que a porção de terra está flutuando em uma ilha. De outro modo, a cidade despencaria do céu”, disse o ilustrador, que publicou as imagens no site Storage Front.

mercurio

“Mercúrio é envolto por uma fina camada de gás — que mal dá para chamar de atmosfera. O vento solar retira de modo contínuo qualquer gás que possa ser capturado ou retido pela gravidade do planeta. A tênue atmosfera é feita primariamente de hidrogênio, tornando-a transparente para o escuro do espaço e o brilho do Sol. O vento solar interage com o campo magnético do planeta, lançando colunas de poeira e partículas carregadas para o topo da atmosfera. A superfície do planeta é perfurada pelo impacto de crateras e coberta por poeira vulcânica, parecida com a que existe na lua da Terra.”

venus

“Por causa de sua grande atividade vulcânica, Vênus está envolto em uma atmosfera de CO2, com nuvens de ácido sulfúrico. Isso cria uma cobertura amarelada de ar quente e sulfuroso, que obscurece o horizonte de Nova York e o Sol. A paisagem é desprovida de água e coberta por crateras, lava, e poeira de enxofre, além de outras características criadas pelos vulcões do planeta.”

terra

Com as ilustrações, Nickolay Lamm quis demonstrar o quanto a vida depende de uma série de condições específicas encontradas somente no planeta Terra — e ausentes de qualquer outro lugar do Sistema Solar. O ilustrador questiona o que aconteceria se a cidade de Nova York fosse levada a qualquer outro planeta da região. E responde: “A vida como conhecemos deixaria de existir. Apesar de raramente pensarmos em nosso universo infinito, o fato de vivermos onde estamos é um milagre.”

marte

“Marte possui uma atmosfera bastante fina e fria, composta principalmente por CO2. A composição química da atmosfera resulta em propriedades oxidantes que convertem grandes quantidades de materiais metálicos em várias formas de ferrugem, o que fica evidente na paisagem da cidade. Fortes correntes na atmosfera também originam frequentes tempestades de areia, que cobrem grandes extensões do planeta e duram por meses. A paisagem de Nova York fica, portanto, envolta por poeira e enquadrada no ambiente vermelho de Marte.”

jupiter

“Jupiter é o maior dos planetas gasosos. Sua atmosfera é tão grande e densa que o hidrogênio e o hélio se tornam líquidos — e até mesmo metálicos — perto da base da atmosfera. A cerca de cem quilômetros acima dessa superfície líquida, o ar possui uma pressão similar à da Terra, mas com uma composição química capaz de enferrujar qualquer superfície metálica, incluindo a da Estátua da Liberdade. A paisagem é ilustrada como se estivesse nesse nível dos cem quilômetros, flutuando na atmosfera. Essa área do céu é formada por uma grande massa de hidrogênio gasoso. Nova York está localizada perto de grandes nuvens de água, amônia e gases do enxofre (as nuvens claras na parte inferior da imagem), que às vezes formam grandes tempestades. Por sobre a paisagem paira uma neblina amarela de hidrocarbonetos.”

saturno

“Saturno possui uma atmosfera similar à de Júpiter, contendo uma mistura de hidrogênio e hélio que se condensam na base da atmosfera. Nova York está ilustrada como se estivesse a cem quilômetros dessa superfície líquida, onde o hidrogênio se encontra em pressões semelhantes à da atmosfera terrestre e contem nuvens suaves, cores de creme, feitas de gelo de amônia, com ocasionais tempestades (como mostrado na parte inferior da imagem). Assim como Júpiter, os gases atmosféricos iriam dissolver de modo devagar qualquer superfíce metálica, como a que cobre a Estátua da Liberdade. Nuvens brancas de amônia e leves hidrocarbonetos flutuam por sobre a paisagem.”

urano

“Urano é um frio gigante gasoso que gira de modo perpendicular ao plano de sua órbita. Em certas latitudes, o planeta possui ventos muitos rápidos, causados pela aquecimento desproporcional de sua superfície. Esses ventos são mais velozes do que o furacão mais poderoso da Terra e seriam capazes de destruir diversas estruturas como a Estátua da Liberdade. A atmosfera é composta primariamente por hidrogênio e hélio, com nuvens ocasionais de metano e trechos de neblina de hidrocarbonetos (como as nuvens vistas acima da linha do horizonte). A atmosfera também contém uma fração considerável de metano, dando ao ar uma bela coloração marinha.”

“Netuno é o planeta mais externo do sistema solar e, por isso, o mais escunetunoro. Assim como os outros gigantes gasosos, ele abriga ventos extremos que iriam destruir prédios e outras estruturas. A atmosfera consiste primariamente de hidrogênio e hélio, com traços de amônia e água, dando ao ambiente uma coloração azulada. Amônio e gelo de água flutuam como nuvens coloridas acima da paisagem urbana.”

Fonte.: Veja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s